Destaques

ARTIGO DO LEITOR: “A Casa Verde chamada Brasil” – por Carlos Alberto Schäffer

Envie seu texto para contato@jornalforcadovale.com.br para compartilhá-lo com milhares de leitores

Participe do Canal do Força do Vale no WhatsApp

A CASA VERDE CHAMADA BRASIL 

Quando leio sobre as arbitrariedades e as ilegalidades cometidas por ministros do STF, governadores e prefeitos que mandam prender e calar todos os que ousam contestá-los, lembro de um conto de Machado de Assis que tem como título O Alienista. A história se passa no tempo do Brasil colônia.

Na época de Machado de Assis, os loucos eram chamados de alienados, e alienista era aquele médico que escolhia quais as pessoas que deveriam ser internadas no hospício. 

O Alienista é a história de Simão Bacamarte, um médico conceituado, formado em Coimbra e Pádua, que abdicou de cargos importantes para clinicar na pequena vila de Itaguaí. “A ciência –  disse ele ao Imperador –  é o meu emprego único. Itaguaí é o meu universo”. 

Depois de clinicar por quatro anos ele resolve comprar uma grande propriedade, que denominou de Casa Verde, e a transformou num hospital psiquiátrico. Ali começou a internar como loucos algumas figuras meio estranhas da cidade. Por exemplo, ele prende um homem que recebeu uma herança e começou a desbaratá-la até ficar na miséria emprestando dinheiro a quem não lhe pagava; um homem que fez um verso meio estranho para a sua mulher; o fofoqueiro da cidade.  Chegou ao absurdo de internar a própria esposa como louca porque ela não conseguia se decidir entre escolher um colar de pérola e outro.

Depois de muitos excessos, os habitantes, liderados por um barbeiro, se revoltaram e resolveram destruir a Casa Verde. O doutor, no entanto, não se intimida e resolve enfrentar a multidão. Diante do povo profere um discurso inflamado, enquanto espera a chegada da polícia, que dissolve a manifestação.

Como reação, Simão Bacamarte resolveu prender todos os que o contestavam. E colocou no casarão cerca de oitenta por cento dos habitantes da cidade. 

No entanto, depois de muito estudar e meditar, chegou à conclusão de que não era possível que oitenta por cento dos habitantes fossem loucos, e decidiu que a verdadeira sanidade era a loucura, que os loucos eram as pessoas normais.  Então ele libera todos os loucos e prende todos os sãos na Casa Verde. 

Vocês viram que alguma coisa parecida já aconteceu e ainda acontece aqui no Brasil nesse período de pandemia. Vejam: O doutor Bacamarte prendeu essas pessoas numa casa por questões de saúde mental. Hoje, no Brasil, alguns tiranos também resolveram prender as pessoas em casa por alegadas razões de saúde.

Acontece que até agora nenhuma dessas “autoridades”, de qualquer nível, resolveu se encarcerar como louco na Casa Verde e liberar o povo. Isto porque, como Simão Bacamarte, eles têm certeza absoluta de que os loucos somos nós e eles é que são os normais.   

Não vou contar o final da história. Recomendo a leitura do conto. 

O Alienista foi publicado em 1882. Machado de Assis foi um visionário. Com cento e trinta e nove anos de antecedência ele previu que apareceriam aqui no Brasil, no século 21, tipos estranhos como Simão Bacamarte, defensores intransigentes da “ciência”. Por isso é que Machado de Assis é considerado um dos maiores escritores do mundo.  Aliás, o único brasileiro nesta lista de grandes gênios da literatura. 

Carlos Alberto Schäffer é advogado e membro da ALIVAT.

Agro Dália

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fale conosco!